3

REUNIÃO

NotíciaNa manhã de hoje – e durante uma hora – estive com o Presidente de uma sigla partidária de Jaraguá do Sul.

Claro que o encontro esteve voltado para as eleições de 2016. Cenário atual, caminhos, possibilidades e quem sabe, a disputa eleitoral majoritária no ano que vem.

Antes que o fato vaze deformadamente, eu mesmo quero torná-lo público e com a ressalva de guardar alguns detalhes. Um novo encontro deve acontecer nesta quarta-feira e com a participação do Presidente estadual da sigla.

Nada está definido e tudo pode acontecer!

Expliquei ao mandatário do Partido, o seguinte:

1 – Não tenho pressa em filiar-me e só o farei no prazo limite estabelecido em Lei.

Se o projeto não possuir o objetivo de disputa total do pleito eleitoral (majoritária e proporcional), a minha decisão será a de continuar sem pertencer aos quadros partidários de qualquer sigla e fazendo um trabalho independente.

2 – A estruturação partidária passa – obrigatoriamente – pela qualidade dos filiados e não pela quantidade. Já estamos vendo as mesmas aves voando em bandos e como diz o velho e bom ditado português: “os pássaros da mesma plumagem, voam juntos”.

Sou adepto da frase: “Diga com quem andas e te direi quem és” – que muitos acham que é Bíblica, mas não é!

3 – Apoios são bem-vindos, mas sem distribuição de cargos.

Quero pessoas compromissadas com o todo e não apenas com o próprio bolso ou pensando partidariamente. Pessoas devem acreditar em projetos e não em promessas! Quem se ilude com promessas (e muitas são mirabolantes) – no fundo – sabe que está sendo enganado, promove uma espécie de autopunição e sabe que a colheita virá depois.

É o mesmo que cometer uma sandice e esperar um milagre para resolver o problema.

Quem defende uma candidatura ou a propaga, faz campanha – deve fazê-lo por entender que a busca é para o bem coletivo e não para uns poucos apaniguados.

4 – Uma campanha eleitoral deve ser iniciada com tudo planejado: começo, meio e fim. Estando numa guerra – e uma campanha eleitoral é uma guerra – não se busca munição pelo caminho. Quem não estiver preparado e com tudo pronto, o melhor caminho é ficar em casa.

5 – Enxugar a máquina pública e isso não pode ser promessa, mas compromisso! Extinguir autarquias, cargos e secretarias.

6 – Valorizar o servidor público de carreira para ocupar cargos-chaves e exigir a aplicação literal do termo “servidor”. Descontentes, insatisfeitos, preguiçosos devem ser identificados, advertidos e demitidos – se for o caso. Eficiência é a palavra chave. Hoje em dia estamos vendo muita preguiçotocracia, teteirocracia e outras ‘cracias” – que grassam abundantemente nos entes públicos.

7 – Ser o “Executivo de rua”: que faz conferência da qualidade de obras do serviço público e determine a refeitura sem custos para o erário em casos de desleixos – com demissão de quem aceitou o serviço de qualidade duvidosa. que visite escolas, creches e postos de saúde sem hora marcada.

8 – Promover a remoção de “velhos ocupantes de cargos” de setores importantes e com isso terminar com os vícios existentes (para economizar na tinta e não revelar fatos sem os devidos documentos).

9 – Constituir entre os servidores de carreira, a equipe capaz de planejar o município: projetos, projetos projetos e mais projetos. Assim, o ente público poderá pleitear verbas Estaduais e Federais, mas com propostas prontas e não com promessas.

10 – Redução drástica de funções gratificadas, cargos comissionados com redução de salários, pesquisas, consultorias, semelhantes, correlatos e viagens – estaduais, nacionais e principalmente, as interplanetárias. É preciso economizar para que o município tenha capacidade de investimento.

Se a sigla partidária concordar com a pequena minuta inicial, o mesmo ocorrendo com possíveis aliados e contar com apoio da população, o compromisso está assumido: me filio por exigência legal e serei candidato.

Caso contrário, a vida continua e ninguém poderá dizer que nunca houve uma proposta exequível e para o bem de todos.

6

ESTÁ ABERTA A TEMPORADA

eleições 2016 - 1Estamos finalizando o mês de agosto e abrindo a temporada de contagem regressiva para filiações partidárias.

Quem quiser ser candidato no pleito de 2016, o mês de setembro reserva dias importantes e fundamentais. Conforme prevê a Lei Eleitoral, o postulante precisa ter um ano de filiação.

Tenho dito e repetido, o seguinte:

1 – A população cansou da mesmice e das propostas mirabolantes.

2 – O eleitorado está enojado com tanta falcatrua neste país.

3 – As pessoas saberão separar o joio do trigo.

4 – O eleitor avaliará profundamente as coligações e os integrantes.

5 – Os aliados de cada candidatura terão um grande peso, principalmente, os que já registram várias passagens pelo Tribunal de Contas do Estado e outros com procedimentos no Ministério Público da Moralidade.

A população está ávida por quem possui capacidade de liderança e traga para si a responsabilidade da decisão – quem tenha coragem para tomar a dianteira sem titubeios.

É preciso ter coragem para cortar gastos, promover demissões, enxugar a máquina, exigir eficiência e não apenas conviver com teteiros que buscam o salário no final do mês.

O eleitor quer alguém que conheça a máquina pública nos mínimos detalhes e sem medo de mandar para casa, o servidor que não sabe executar o termo que o designa ao pé da letra.

3

IDEIA DE JERICO

calcadao 3
Com o devido perdão do muar – pela ofensa disseminada ao longo do tempo – não há como pensar diferente.

Comentaram comigo na manhã de hoje – no tradicional café com os amigos – que a diretoria de trânsito da Prefeitura de Jaraguá do Sul (em mais uma daquelas ideias iluminadas) pretende estabelecer o horário das 07 às 09 da manhã para carga e descarga no calçadão.

Mais do que isso: que durante a carga e descarga, o veículo não poderá estacionar sobre a ciclofaixa existente!!

– É uma ideia de Jerico! Deveria receber um belo fardo de feno como troféu!

Para não exagerar nas conjecturas, imaginem o seguinte:

– Um caminhão estaciona no leito carroçável (bonito isso) que fica no início no calçadão…

Qualquer “jumento” sabe que o trânsito ficará trancado para “os demais caminhões” que pretendem fazer carga e descarga. Se o primeiro levar uma hora para concluir o trabalho, os demais estarão fritos.

O correto é eliminar o trânsito no calçadão – salvo para pessoas residentes – e estabelecer horário de carga/descarga e com permissão de estacionamento dos dois lados.

E algum jumento poderá me perguntar:

– Mas e os ciclistas?

Ora, a eliminação do trânsito resolve tal questionamento.

Que o calçadão anda precisando de um “banho de modernidade” – com regras para mobiliário e as ocupações irregulares que andam acontecendo aos baldes – não resta a menor dúvida.

Partindo de tal premissa à implementação das ideias de jericos, o espaço é longo!!

1

NOJENTO

IMG_2414A ciclovia (entre Reinoldo Rau e Calçadão) que virou depósito de lixo ao lado do dito Calçadão – até aparece caixas de papelão na foto – hoje apresentou algo novo: algo semelhante com esgoto!!

Claro que não se pode culpar ninguém, afinal de contas, o usuário não faz isso de propósito.

Mas que é nojento, isso é!!

16

OUVIDOS MOUCOS

ouvidosSe não me falha a memória – que falha – desde os primeiros dias de governo do prefeito Dieter Janssen (PP), repito:

– Não acredite nos tapinhas nas costas! Desconfie de quem só lhe traz notícias boas! Não dê créditos aos que só fazem elogios…

Isso sem falar nas tantas vezes que citei: prefeiturinhas, os feudos, o Poder paralelo. Também não foram poucas, os alertas sobre pessoas em cargos de confiança e que são verdadeiras “travas” na administração.

Salvo casos demasiadamente “escancarados” – serviços trocado por carroça em obras, Fundação Cultural na era “leônica”- os demais casos passam batidos.

– O que posso fazer?

Nada, além de já ter alertado inúmeras vezes!

Nem vou falar da necessidade premente de demissões de cargos comissionados – onde muitos só buscam o salário no final do mês – o que foi dito muitas vezes.

Tudo isso terá eco! Aliás, os burburinhos dissonantes já ecoam nas próprias hostes palacianas.

A manutenção dos atuais aliados do Paço – salvo uma guinada de rumos – será tarefa inglória.

E continuam os tapinhas nas costas, os elogios falsos…

3

MUNDO REDONDO

PAPÉISO tempo passa rápido! Para alguns mais rápido do que imagina!

Não é que as eleições estão logo ali adiante – mais uma vez? Pois, o tempo – no presente caso – conspira à meu favor! Vou esperar!

Tenho os históricos de alguns pretensos candidatos e vou trazê-los para o conhecimento público. Sei da intenção de alguns “ratos” que pretendem voltar aos meios políticos. Também sei dos conluios que andam fazendo, as tramas irreveláveis , as tratativas para que cheguem ao Poder.

Depois de tantos anos em Jaraguá do Sul – ainda ontem dizia isso para um empresário – decifrei o DNA das pessoas e identifico-os de longe.

Alguns acham e apostam “na memória curta dos eleitores”, mas farei questão de avivar as lembranças por onde passaram e o que fizeram, documentalmente, claro!

Sempre acreditei que “a tonelada” de papéis que guardei – em algum momento – serviria alguma coisa.

O momento chegará e será oportuno.

Não guardo mágoas! Guardo nomes!!

13

FEDE E MUITO

fedor

Conforme compromisso com moradores do Bairro Vieiras – e se assumo, cumpro – fui conferir o problema de mau cheiro produzido pela empresa Tractta Tecnologias Ambientais Ltda.

Permaneci no local 40 minutos! Conversei com as pessoas, entrevistei – e poderia ter gravado 50 depoimentos.

Após 40 minutos, os meus olhos e nariz, ardiam. A boca fica seca.

O lugar fede e muito! O vento que estava soprando no sentido Guaramirim-Jaraguá do Sul (para ficar mais fácil a compreensão) carrega um odor fortíssimo – semelhante a veneno.

Segundo os moradores, a fedentina de hoje estava fraca – se comparada a outros dias.

Muito diferente do que diz a nota à imprensa emitida pela empresa, o mau cheiro é permanente. A tal ocorrência pontual do dia 27 de julho – que primeiro fala em 2014 e depois em 2015 – possui “pontualidade diária”.

Um dos entrevistados disse que:  no período noturno – o que é ainda mais suspeito – até os bueiros exalam o mau cheiro produzido pela empresa.

Na tarde de hoje, o Ministério Público Federal foi acionado. Moradores também foram orientados para a produção de um abaixo-assinado para substanciar a denúncia.

Ao procurar o escritório da FATMA para levar a denúncia, a informação: só com hora marcada!

O cargo comissionado foi indicação do PMDB.

2

QUE SERVICINHO PORCO

Recebi e transcrevo “ipsis literis”, o seguinte e-mail (com fotos):

serviço de porco

Venho através deste e-mail pedir a sua ajuda, para divulgar um grande problema que estamos encontrando na Rua de minha casa, para que isso chegue a prefeitura.

Moro apenas 500 metros da prefeitura, e nossa rua é um verdadeiro caos, ela sempre está cheia de buracos. E com isso eu e muitas pessoas já tiveram problemas por transitar nela, eu quando tinha moto acabei escorregando nas pedras e cai 02 vezes, minha vizinha caiu com o neném dela no colo, muitos carros já escorregaram nas pedras. Já realizei muitas reclamações junto ao setor de obras e nada nunca é feito. Mas na sexta passada o setor de obras nos surpreendeu, foram até a rua com uma caçamba e jogaram barro com muitas pedras (segue fotos em anexo), a noite quando estava voltando para casa do meu trabalho, eu simplesmente não consegui subir a rua de casa com meu carro, as pedras eram tantas que o carro começou a escorregar e por pouco não caio com ele em uma valeta grande. Quero pedir que me ajude, pois nunca nos negamos a pagar nossos impostos e eles simplesmente nos ignoram. Preciso de alguma ajuda para que eles olhem por nós morados.

Desde já agradeço sua atenção.

Obrigada

Pitaco meu:

– Mas que servicinho porco, hein seu Ideraldo Colle? Por que será que o sujeito não faz  o serviço direito? Falta fiscalização? Falta quem mande nesse “bolicho”?