Passar para o conteúdo


AUDIÊNCIA

Vou acompanhar a audiência de conciliação no Fórum de Jaraguá do Sul.

A propositura acontece a partir de 8 horas da manhã e deverá contar com a presença de um representante de cada unidade habitacional invadida no Conjunto Habitacional Harmonia – Bairro Três Rios do Norte.

O ato acontecerá na sala do júri e será conduzido pelo juiz Luciano Fernandes da Silva. Segundo integrantes do grupo, o número de inscritos em programas habitacionais sociais do município não chegam a 30% dos que ocuparam o local.

A reintegração de posse pedida pelo município, também está em andamento.

O caso voltou a repercutir na Câmara de Vereadores na sessão extraordinária da noite de hoje. O vereador Amarildo Sarti (PV) cobrou do colega João Fiamoncini (PT), a ratificação de ilação feita em entrevista à imprensa de que – supostamente – haveria membro do Legislativo envolvido.

O petista negou! Não disse de forma direta, mas disse.

Nesta sexta-feira – no Studio Atualidades – vou apresentar o trecho da entrevista de Fiamoncini  e que gerou a saia justa.

Para ouvir, basta acessar www.studiofm.com.br

O jornalístico vai ao ar das 07.25 às 08.00 da manhã.

Postado em Blog.


PARA PENSAR

Postado em Charges.


ESTOU EM DÉBITO

Não tenho certeza, mas acho que estou devendo esta informação para os leitores e leitoras:

No dia 14 de julho de 2014, o Jaraguá em Dança 2013 foi denunciado ao Ministério Público, mais precisamente na 6ª Promotoria de Justiça e Curadoria da Moralidade.

O caso encontra-se de posse do Promotor de Justiça Ricardo Viviani de Souza que, diante dos documentos apresentados e acostados na denúncia, poderá instaurar procedimento investigativo.

As provas juntadas são soberbas, contundentes.

Além do ex-presidente da Fundação Cultural, petista Leone Silva – foto – , a denúncia envolve outros servidores da municipalidade e a investigação no MP deverá apontar o grau de responsabilidade de cada um.

A “capivara” é GIGANTE.

Postado em Blog.


CASA DA SOGRA

Não se trata de nenhuma bagunça administrativa, coisa semelhante ou correlata.

Na verdade – e a bem da verdade – trata-se de uma informação confidencial, daquelas que motivam cochichos no pé da orelha.

Na invasão do Conjunto Habitacional Harmonia – que já anda pra lá de suspeito – um dos invasores foi fazer uma confidência para o colega de trabalho. Se esqueceu e nem se deu conta de que, o ouvinte poderia ter mais do que interesse na história.

O “ouvidor” em questão, além de atento, é marido de uma mutuária que deveria ser beneficiada com a casa própria, após cumprir todos os trâmites burocráticos, papelada, carimbaço e etecétera.

Querem ouvir qual foi a confissão?

Clique aqui: 02 – Andreia

Postado em Blog.


NOTA DE ESCLARECIMENTO

Considerando postagem em seu blog na manhã desta quarta-feira (30/07), onde constam questionamentos a respeito da atividade e veículo utilizado por este setor. Informamos que na data e hora questionada na suposta denúncia, os fiscais Juliano e Lourival, estavam no endereço informado, Rua Abolição, nº 161, em atividade regular de fiscalização.

Esclarecemos que, tendo em vista as ocorrências registradas na última enchente, nos dias 06, 07 e 08 de junho de 2014, a Defesa Civil solicitou auxílio do setor de fiscalização a fim de agilizar o atendimento às residências atingidas, e que constam na listagem oficial do município, para fins da liberação do FGTS.

Desta forma, havendo solicitação por parte do munícipe alegando que sua residência foi atingida pelo evento de junho, os fiscais de Posturas, em auxílio à Defesa Civil, realizam vistoria no local, relatando o que encontraram. Para o referido atendimento, existem a ficha do serviço realizado e fotos do local que estão a disposição caso necessário. Também ressaltamos que caso existam dúvidas sobre os trabalhos realizados, a Prefeitura de Jaraguá do Sul e suas secretarias estão sempre a disposição para esclarecer.

Jaraguá do Sul, 30 de junho de 2014

Leandro Piske – Subgerente de Fiscalização de Posturas

Marcelo Heinz Prochnow – Secretário Municipal de Defesa Civil

Postado em Adm. Pública.


CURIOSIDADE

Publicação que se encaixa naquela famosa série “perguntar não ofende”

Quem quiser explicar, por favor:

1 – Ontem – terça-feira chuvosa – o veículo da foto (que pertence à municipalidade) estava na Cohab do Rau:

a) Eram 16 horas

b) Fiscalizando o quê?

c) O fiscal estava na casa em frente ao veículo?

d) O veículo estava parado estrategicamente para flagrar e de súpeto – algum sonegador daquelas bandas?

O nosso espaço – generoso, diga-se – está ao inteiro dispor para os esclarecimentos.

Postado em Blog.


GATO NA TUBA

Estamos rastreando o caso da invasão do Conjunto Habitacional Harmonia e agindo com rigoroso detalhamento, pormenores.

Há mais coisas do que os leitores e leitoras possam imaginar.

Segundo informações de pé de ouvido, a ação foi tramada e com tempo razoável. Leiam com o que estamos trabalhando:

- A invasão já vinha sendo tramada há mais de 15 dias. E isso não aconteceu do nada! Houve incentivos.

- Entre os invasores, outra descoberta: alguns são proprietários de imóveis.

Não errei: imóveis! Um usado como moradia e outro alugado!

- Entre tais proprietários, o marido invadiu uma casa e a esposa invadiu outra.

- Integrante do grupo invasor possui (possuía) parentesco com um vereador.

- Há informação (não confirmada) do apoio logístico de uma Igreja Evangélica

O desenrolar dos fatos, a apuração acuradíssima – sem contar as tradicionais informações quase silenciosas – poderão revelar outros segredos.

Um Juiz de Direito esteve no local no dia de hoje.

Postado em Blog.


JUSTIÇA ACIONADA

A Procuradoria-Geral do Município de Jaraguá do Sul entrará com ação de reintegração de posse para a desocupação das 71 casas do Loteamento Harmonia, no bairro Três Rios do Norte, invadidas por volta da meia-noite de sábado (26). A informação é do procurador-geral, Raphael Rocha Lopes, explicando que foi registrado um Boletim de Ocorrência junto à Delegacia de Polícia manhã desta segunda-feira (28) e a ação deverá ser protocolada no Fórum até amanhã, dependendo apenas de alguns documentos a serem encaminhados pela Secretaria da Habitação. “Foram realizadas reuniões com os invasores na madrugada de domingo e no final da tarde do mesmo dia, sem perspectiva de desocupação voluntária. A alternativa, agora, é o ajuizamento da demanda de reintegração de posse”, acrescenta. De acordo com ele, houve uma reunião com prefeito Dieter Janssen e envolvendo também os secretários da Habitação, da Assistência Social, do Urbanismo e da Defesa Civil, além do diretor do Samae, na manhã desta segunda, quando ficou definido que seriam tomadas as providências cabíveis a cada pasta.

Segundo o secretário da Habitação e Regularização Fundiária, Antônio Marcos da Silva, que, acompanhado do procurador-geral Raphael Lopes, esteve no local logo após a ocupação, eles foram informados se tratar de moradores do próprio bairro Três Rios do Norte, que estão com dificuldades de pagar aluguel e decidiram fazer a ocupação. “Pedimos que formassem uma comissão e nos passassem os nomes das famílias para que possamos verificar se elas estão registradas em nossos cadastros, pois é a única forma de ter acesso às moradias construídas por meio de programas habitacionais do poder público no município”, justifica Silva, frisando que a Prefeitura tem compromisso de construir e entregar as habitações para as famílias, seguindo critérios dentro da legalidade.

“Sabemos que são famílias de trabalhadores, mas não podemos aceitar que tomem posse de residências já pertencentes a outros trabalhadores, os quais já se submeteram a todas as exigências legais e têm direito a estas casas”, pondera Silva, lembrando que as casas são destinadas a famílias cadastradas junto à Secretaria da Habitação e já selecionadas entre aquelas atingidas pelas catástrofes climáticas de 2008 e 2011. O secretário destaca, ainda, que a desocupação do local também cumpre uma responsabilidade do poder público que é zelar pelo seu patrimônio – já que as unidades habitacionais ainda não foram entregues às famílias selecionadas – e pela segurança das próprias famílias, pois as casas estão inacabadas e sem condições de habitabilidade: faltam as obras de saneamento no condomínio, com a instalação das fossas sépticas, além das ligações de água e luz às residências.

FASE DE CONCLUSÃO – Silva destaca que a conclusão do Loteamento Harmonia estava prevista para dentro de 60 dias, assim que concluídas as obras de instalação das fossas sépticas, programadas para iniciar nesta segunda-feira (28). “Tivemos que suspender a ordem de serviço porque não há condições da empresa trabalhar no local até que esta situação seja resolvida”, explica. “Inclusive vamos ter que fazer reparos, pois houve depredações nesta ocupação já que as portas foram arrombadas”, complementa.

Por Ricardo Portelinha – Diretoria de Comunicação

Prefeitura de Jaraguá do Sul

Postado em Adm. Pública.


IN LOCO

Estive no Conjunto Habitacional Harmonia na manhã de hoje e conversei com três pessoas – escolhidas pelo próprio grupo – das 71 famílias que estão no local.

Entre adultos e crianças, o número ultrapassa 300 pessoas. Todas as unidades foram ocupadas e já há uma lista de espera de outras 12 famílias, caso alguém desista.

Há uma espécie de comitê de recepção – uma corrente que fecha o acesso ao Conjunto Habitacional – e só adentram ao local, as pessoas que estão instaladas. Três pessoas foram escolhidas para falar em nome do grupo e conversei com duas delas: Fabio Padilha Vieira e Gelson Giovan dos Santos.

Ambos afirmam que todas as famílias instaladas no local são oriundas dos loteamentos Souza e Santo Antonio e pagam aluguéis com custo médio de R$500,00. Cerca de 30% estão inscritas em programas habitacionais.

Houve estabelecimento de regras no local: nada de bebidas ou drogas, garantem.

A situação é delicada! Pessoas da pasta de habitação do município – inclusive, o próprio Secretário Antonio Marcos da Silva, o Dega – estiveram no local, porém, não houve acordo.

Segundo Gelson Giovan dos Santos – ainda que veladamente – houve tentativa de intimidação.

Por isso e para que haja uma decisão acerca da situação criada, os líderes do movimento (eles não gostam a denominação de líder), só aceitam negociar com o prefeito Dieter Janssen.

Ouça, o que disse Gelson G. dos Santos: Gelson II (2)

Postado em Adm. Pública.


NA LISTA

Postado em Charges.