5

COMIDINHA?

– Por acaso, alguém está afim de experimentar minha comida?

Sou apaixonado por cozinha, já confessei! Hoje, mais brasileiro do que nunca, resolvi dedicar parte da minha tarde para um “menú” brasileiro como só: feijão carioca de caldo grosso, arroz branco, abóbora kabotiá (eita casca dura de tirar), carne de porco apuradinha na panela de ferro mais velha e maltratada, repolho refogado na banha de porco.

Barato, bom e saboroso e com detalhes. Faço questão de ensinar, entendendo que todo mundo sabe fazer arroz e feijão! (caso não saibam, peçam a receita que ensino)

Ingredientes:

3 kg de pernil de porco com pele

1 abóbora kabotiá (mais ou menos 1,5 kg)

Modo de preparar:

Separe a gordura (em pedaços) da carne de porco (guarde a pele para um feijão preto). Tempere separadamente a carne e a gordura. Sal, pimenta do reino, alho, cebola (na gordura e na carne). Uma hora depois, coloque umas gotas de óleo numa panela de ferro e jogue os nacos de gordura. Deixe fritar bastante! Enquanto isso, prepare uma dose de whiske Johnnie Walker Black Label (acabou, viu Zeca!). Torresmo moreninho, num prato com guardanapos – deposite os torresmos pegos com uma escumadeira.

Deixe esfriar um pouco! Gordura quente elimina 98% da potência do homem!

Durante todo esse tempo, o “viske” acabou. Sirva outra dose! ( falei que é sem gelo?), pois é!

Tirou o torresmo, jogue muito alho picadinho na gordura. Amorenou-se? Jogue-os no feijão que está cozido, inteiros e só aguardando o sabor. Salgue conforme seu gosto!

– Comeu dois torresmos?  Bom né? Se foi o “viske”!

Generosamente, sirva-se de mais uma dose! Naquele resto de alho/gordura que sobrou do torresmo, jogue a carne de porco. Mexa com colher de madeira. Revirou tudo? Coloque a tampa da panela (de ferro, lembra?) e deixe vir a água da carne. Vá colocando pouca água e deixando cozinhar. Ao final, carne moreníssima e temperadíssima.

-Três torresmos depois, mais uma dose!

Pegue meia dúzia de pedaços da carne de porco pronta e com uma faca de fazer barba, corte em cubículos. Numa panela, coloque os cubículos + farinha de mandioca em bijou e deixe torrar! Ficando moreninha, desligue e acrescente cebolinha.Mexa, acrescente azeite de oliva e abafe para incorporar sabores, perfumes.

– Fio! Dois torresmos e mais um viske!

Abóbora refogada, carne fritinha, arroz soltinho, feijão de chorar, farofinha, repolhinho do tipo!!

-Vá lá! Comida boa, demora para ficar pronta!

Bom apetite!

Sergio Peron

5 Comentários

  1. Também sou do ramo, Peron. Vejam ai!

    Receita de Frango com Cerveja
    24 garrafas de cerveja da boa
    01 frango de aproximadamente 02 quilos, sal, pimenta e cheiro-verde a gosto,
    350 ml de azeite de oliva extra-virgem,
    nozes e amendoim.
    Modo de preparar:
    Pegue o frango.
    Beba uma garrafa de cerveja.
    Envolver o frango e temperá-lo com sal, pimenta e cheiro-verde a
    gosto.
    Massageá-lo com azeite.
    Pré-aquecer o forno por aproximadamente 10 minutos.
    Sirva-se de mais uma garrafa bem gelada enquanto aguarda.
    Use as nozes e o amendoim como ‘tira gosto’.
    Colocar o frango em uma assadeira grande.
    Sirva-se de mais duas geladinhas, enquanto prepara.
    Envolver o frango em celofane, ou papel alumínio.
    Axustar o terbostato na marca 3, e debois de uns vinch binutos,
    botar para assassinar.. – digu: assar a ave.
    Virar mais uma cerveja (não no frango, no gogó…).
    Debois de beia hora, berificar a tempraturatura e gontrolar a assadura do
    frango.
    Tentar zentar na gadeira, servir-se de uoooooooootra gafarra de
    cerbeja.
    Cozer(?), costurar(?), cozinhar, sei lá, voda-se o vrango.
    Deixáááá o filho da buta do pato no vorno por umas 4 horas.
    Tentar retirar o peru do vorno.
    Num vai guemar a mão, garaio!
    Mandar mais uma boa dose de cerva pra dentro… de você, é claro.
    Tentar novamente tirar o sacana do chest do vorno, porque na
    primeira teenndadiiiva dããão deeeeuuuuuu.
    Begar o vrango que gaiu no jão e enjugar o filho da buta com o
    bano de jão e cologá-lo numa pandeja ou qualquer outra borra, bois
    avinal você nem gosssssssssta muito dessa merda mesmo.
    – Tá Bronto, ZUZUBEM, hic???

  2. ô Peron, passa para a gente uma receita de ” escondidinho”, já que é a moda dos funcionários públicos. Nós, que não temos tempo, não precisamos e nem dá para nos escondermos, precisamos aprender a fazer um prato destes.

  3. Intrometido, os maiores vadios estão no setor privado. Cala a boca. Passa num concurso com 300 candidatos por vaga e aí pode falar algo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *