12

SEM CARRO DE SOM!

Pelo Brasil afora, os eleitores estão convivendo com carros de sons pelas ruas e jingles de candidatos utilizando músicas conhecidas.

É comum as paródias de : eu quero tchu, ai se eu te pego, humilde residência, ex-my love, todas com letras modificadas e levando alguma coisa dos postulantes.

Originalmente, tais letras são verdadeiros atentados aos nossos ouvidos. As paródias são atentados duplos e de péssimo gosto!

Em Campos Novos, município no meio-oeste catarinense e com pouco mais de 30 mil habitantes, os partidos políticos fizeram um acordo: sem carros de som na campanha! 

Além de ineficientes (imaginem os trios elétricos na Bahia), as propagandas acabam perturbando a vida das pessoas. No caso de Campos Novos – com população perto de 24 mil habitantes no perímetro urbano do município – se respeitados os ditames legais da Lei Eleitoral no que diz respeito às distâncias proíbidas –  o uso dos carros de som ficaria ainda mais inviável.

Para conquistar o voto do eleitorado será preciso gastar a sola do sapato.

Nossos ouvidos agradecem!

Sergio Peron

12 Comentários

  1. Vamos divulgar isso para tornar-se uma campanha via internet para que seja assim pelo país afora! Seria muito bom! Já não basta aguentar viado ouvindo tche-re-re nas merdas de chevetes e corsas, ainda tem que aguentar político viado fazendo isso também? É o fim dos tempos!

  2. Bom dia, Peron. Pede pro Elton Torri verificar o post do dia 09/ago intitulado “o que eu penso?” Tento desde ontem postar novo comentário, mas o mesmo não “fica”. Portanto segue abaixo um comentário em complemento ao que disse o missivista Euzébio a respeito do Código Penal:

    Éuzébio, eu já gosto mais é dessa outra:
    “Bandidos em confronto com a Polícia FORAM PULVERIZADOS no local do crime, e NEM DERAM ENTRADA no hospital, indo direto para o necrotério para terem seus restos mortais reconhecidos por meio de arcada dentária ou DNA. Serão enterrados como indigentes porque NEM A FAMÍLIA QUIS RECOLHER OS CORPOS!”

    As fotos dos bastardos metralhados em Schroeder City no ano passado deveriam ter sido publicadas EM TODOS JORNAIS e PRINCIPALMENTE NOS MURAIS DE DELEGACIAS E DE PRESÍDIOS DO PAÍS INTEIRO, juntamente com fotos dos policiais responsáveis recebendo medalhas e homenagens! Isso sim daria um “ibope legal” entre a marginália, que iria pensar 50 vezes antes de fazer merda!

  3. O Dita é o q está mais usando esses carros de som. Falta de respeito com os jaraguaenses.

  4. Os candidatos de Jaraguá do Sul deveriam copiar a ideia. Apresentem propostas em vez de POLUIR O AMBIENTE com músicas e jingles de mau gosto em volumes insalubres. Não notam que o mundo evoluiu e que não cabe mais esse itpo de campanha pré-histórica? Está na hora de apelar para o bom senso. O candidato que age desse modo não ganha o meu voto e ainda faço campanha contra, pois já começa errado.

  5. horrivel o calçadão hoje de manha, sem chance de ficar lá com aquela bandinha na porta do museu, dai misturava a “musica” do Francisco Alves( a original já é ruim, imagina a dele), aquele povo com a bandeira do dieter tomando conta do calçadão e a encheção dos santinhos..espantaram muita gente hoje..

  6. Parabéns a todos os pais. Muitas felicidades para voces e todos os seus.,

  7. sinceramente nem vi…fiz o que tinha que fazer numa loja lá e me mandei para o sossego da minha casa…queria comprar umas coisas mas vou durante a semana..sabado ,pode ter certeza que até as eleiçoes vai ser essa bagunça..

  8. A festa tava boa em Campos Novos, hein Peron? Nem um “postzinho” pra brindar o final de domingo pra galera! E aí, muita cachaça com mel? Quando estamos gripados é uma ótima desculpa pra tomar uns mé sem levar enchida de saco das “frau”, né não?

  9. Mas voltando ao tema das musiquinhas ridículas de candidatos, acho que a Justiça Eleitoral deveria proibir o uso dessas monstruosidades sertanojas. Não é só uma agressão ao bom senso como ainda expõe o ridículo do candidato que quer se pendurar numa música de gosto popular – por escrota que seja – para amealhar mais uns votinhos de trouxas. Isso sem falar que os caras ainda caem na asneira de repetir músicas. Lembro que nas últimas eleições pelo menos três candidatos usaram a tal de “Bom, bom-bom, chi-bom chi bom” uma verdadeira excrescência. E fica cada vez pior! Deveriam perder a eleição só por isso! Não seria interessante começar uma campanha na internet contra esse tipo de palhaçada “musical?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *