16

FIDELIZAR O CLIENTE

Salvo raros casos, o comércio de Jaraguá do Sul “não está nem aí para o cliente”.

São poucos – mas muito poucos – os estabelecimentos comerciais que fazem questão de manter a fidelidade do cliente. A maioria esmagadora prima por uma única venda. Isso quando não trata o comprador como “alguém que está obrigado a comprar ali” – não dando a mínima importância quando o cidadão adentra a loja. E depois reclamam, querem prestígio comercial.

Vivi duas situações e tenho absoluta certeza que não sou o único:

1 – Comprei um relógio da marca G-Shock (o anterior quebrou a pulseira) e num belo dia percebi que o mostrador ficava embaçado. Ora, mas é um G-Shock e à vista, custou R$800,00. Reclamei e a ótica onde comprei o produto deu a seguinte informação: temos que mandar o relógio para a fábrica. Caso o certificado seja carimbado 3 vezes (ou seja, mandar 3 vezes para o mesmo lugar e com o mesmo problema), o fabricante faz a troca. Expliquei que não tenho relação com a fábrica e sim com o meu fornecedor e que não quero mais o relógio – que está com defeito e tal. O problema fábrica/fornecedor – pertence ao fornecedor. Da promessa de resolver “na semana que vem”, passou mais de um mês e até agora, nada!

2 – Há uma semana estou tentando comprar carne (um bife mais molinho) – até uma rabada – no açougue de determinado supermercado. Tendo perguntado sobre os produtos por 3 dias seguidos, resolvi inquirir uma pessoa do açougue e obtive a seguinte resposta: todas as compras estão concentradas numa única pessoa e ela só pede uma vez por semana. Acabou, simplesmente acabou! Um olhar mais atento e se percebe que muitos produtos estão faltando, também nas prateleiras e gôndolas.

O resumo da ópera: quem procurou alguma coisa e não encontrou, desistirá na segunda vez (eu é que sou persistente) e procurará outro fornecedor. No meu caso específico, a relojoaria e o supermercado, nunca mais receberão minha visita como cliente, menos ainda um centavo do meu suado dinheirinho.

Para nossa sorte, todos os dias chegam novos estabelecimentos comerciais em Jaraguá do Sul.

Alguns – já estabelecidos de longa data – não precisam mais do nosso dinheiro. Já ganharam mais do que o suficiente!

Sergio Peron

16 Comentários

  1. Venha pro lochinha da Samuel, não paga nada pra estacionar, desde que estacione lá na Gumercindo da Silva próximo da Breithaupt. Moça bonita non paga, mas tampém non leva!

  2. Nao sei se é o mesmo supermercado, mas o Breithaupt está uma lástima em matéria de administração de estoques, principalmente no que fica localizado perto do posto Marcolla.
    No tempo do Sr. Hans a “coisa” era diferente, funcionava !!

  3. Jaraguá do Sul é uma célula do Brasil, graças a Deus não temos do que reclamar, de Norte a Sul, Leste a Oeste é tudo igual.
    Industrial, comerciante, politico, estudante, jurista, liberal …….. somos todos brasileiros mal educados e mal acabados.

  4. é Peron estou percebendo que nós reles consumidore somos descartaveis pois o comercio na grande maioria não esta nem aí para fidelização de clientes. Se eu entro em uma loja para comprar determinada mercadoria e não sou bem atendido risco essa loja do meu mapa pois não costumo rastejar para ser atendido por ninguem, outro detalhe porque as lojas não investem em treinamento e valorização dos seus funcionários ai fica essa rotatividade de pessoas sem qualificação.

  5. Moçada graças a Deus estamos numa democracia e ainda não temos um ditador para nós obrigar a comprar naquele local e pronto. Muito fácil Srs. mudem de lojas, saiam dessa mesma caminhada, procurem outras portas que vcs vão se surpreender com muitas atendentes atraentes e simpáticas.

  6. Quer se incomodar, leve um produto com defeito no comércio de Jaraguá. Vc vai se irritar e nada será resolvido, na maior cara de pau. No Camelódromo são muito mais honestos que aqui. Comerciantes sabem fazer pressão pra população pagar estacionamento rotativo e pegar muito dinheiro nosso pra iluminar as ruas no Natal.

  7. As palavras “longa data” não deixam dúvida: É BREITHAUPT NA CABEÇA.
    Incrivel como eles conseguem tocar as pessoas.
    Acredito piamente que os outros supermercadistas contrataram os caras,
    para tocar os clientes nesta rede de lojas.
    Bom COLOMBO tbém é um caso a parte, pois se prometerem um BRINDE,
    nunca será entregue, acho que o gerente fica com eles. Estou para receber
    o meu, em função de uma compra maior, há dois anos, e nada….será que vem?

  8. O comercio de jaragua e’ uma lastima….Falta tudo, desde educacao e respeito com o consumidor….Esse pessoal precisa viajar mais….Como alguem disse, troquem de loja e supermercado…..

  9. A situação de lástima a pericitante é pouco em relação ao comercio em jaraguá do Sul, sem contar com o respeito com o consumidor então é caso de polícia, o Correio do povo fala que tudo é azul com o lado da PMJS, e nem fala do consumidor e muito menos com o respeito então ……..ai a coisa está feia…….
    E quando você liga para o PROCON, e denuncia e vai lá e reclama, e espera que tomem alguma providencia, ai você e mais enganado ainda, ai você fala com o tal fiscal, e ele lhe diz eu cumro ordens e tenho dois chefes aqui dentro, se um me mandar eu tenho que pedir autorização para o outro e ai se é prioridade ou não, caso não não vai porque temos outras coisas para fazer, assim é que estamos sendo trantando o consumidor.
    Dessa forma sai mujento e entra cavalos e as éguas continuam as mesmas e nós seus burros ainda achamos que temos lugar para reclamar. Estamos esperando que a,lguém se digna a nos respeitar e fazer alguma coisa. SOCORRO…….. SOCORRO…..

  10. Veja o que diz o artigo 18 do CDC
    SEÇÃO III
    Da Responsabilidade por Vício do Produto e do Serviço
    Art. 18. Os fornecedores de produtos de consumo duráveis ou não duráveis respondem solidariamente pelos vícios de qualidade ou quantidade que os tornem impróprios ou inadequados ao consumo a que se destinam ou lhes diminuam o valor, assim como por aqueles decorrentes da disparidade, com as indicações constantes do recipiente, da embalagem, rotulagem ou mensagem publicitária, respeitadas as variações decorrentes de sua natureza, podendo o consumidor exigir a substituição das partes viciadas.
    § 1° Não sendo o vício sanado no prazo máximo de trinta dias, pode o consumidor exigir, alternativamente e à sua escolha:
    I – a substituição do produto por outro da mesma espécie, em perfeitas condições de uso;
    II – a restituição imediata da quantia paga, monetariamente atualizada, sem prejuízo de eventuais perdas e danos;
    III – o abatimento proporcional do preço.

    Ou seja, é o cliente que escolhe uma das 3 alternativas e não o comerciante, procure seus direitos Peron.

  11. Galera, tb não vamos generalizar, né !! tem muitos comerciantes que tem uma atendimento de primeira, e tb seguem direitinho o código do consumidor…!! alias o Sergio num post acima deste, disse que vai fazer uma AVALIADOR de atendimento .. , isso é uma idéia legallllllllllllllllllllllllllll!

  12. Na hora de você adquirir um produto ou serviço é mil maravilhas, mas você descobre se o atendimento é bom mesmo quando você for fazer alguma reclamação e na grande maioria das vezes aquele primeiro atendimento é fachada pois o principal não é o cliente e sim o dinheiro que ele deixou.Agora se você vai voltar ou não a comprar no estabelecimento é um detalha.
    A solução é não reclamar para ser bem atendido, pode!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  13. Figueira, a solução é não comprar aqui pra ser bem atendido em outro município, coisa que já vem acontecendo nos últimos anos.

  14. Aqui em casa vivemos uma experiência muito legal no comercio de Jaraguá.
    Na aquisição do bem achamos em outra cidade, 30% mais barato. (R$ 5.100,00)
    Quando apresentou um probleminha, levamos na assistência técnica daqui e queimaram a máquina. Ligaram em 220 e é 110.
    Mandaram consertar fora e queriam cobrar o conserto.
    Feito reclamação no Procon, aceitamos fazer um acordo, pagando 50% do conserto.
    Foi feito um desabafo via rede social sem citar nome da empresa ou pessoas.
    Alguns dias depois recebemos um email ameaçando que o proprietário estaria nos processando para reparação de danos morais. Claro que até agora não fomos notificados de nada.
    É inacreditável mas é verdade.
    E a ACIJS gasta milhares de reais em campanhas para a população comprar no mercado local.
    Isto é uma vergonha. Diria Boris Casoy.

  15. O que vocês acham do grande posto matriz?
    Na minha opinião é o pior atendimento da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *