6

DESABAFO DO LEITOR

Pessoa que pediu para preservar-lhe o nome – e vamos respeitar – faz o seguinte desabafo:

caozinhoTenho um filho com 20 anos, sendo que desde os 14 anos se envolveu com drogas, passou por comunidades terapêuticas, foi preso por tráfico de drogas e outras situações de risco dentro deste mundo obscuro. A polícia de Jaraguá não dava sossego a ele. A perseguição era implacável!

A solução era sair da cidade, buscar outros horizontes pra se manter vivo e com o mínimo de dignidade! Fomos radicais: deixamos emprego, moradia própria, amigos, filho, irmão… E fomos embora, mas não deixamos nosso amigo fiel, um pequinês, cujo nome preservarei.

Passamos por muitas dificuldades, mas meu filho foi aprendendo coisas novas, novos desafios, novos horizontes. E junto de nós, sempre havia a companhia do nosso amigo fiel. Ele observava nossa rotina e quando possível, participava. Quando meu filho já estava pronto pra seguir seu caminho por conta própria, voltei pra Jaraguá do Sul, pois onde estávamos, não estava sendo possível termos uma renda digna para a sobrevivência da família. E com o coração partido, deixei meu filho, sua namorada e nosso cão fiel. Seria egoísmo de minha parte trazê­lo junto, pois era de meu filho que ele recebia mais carinho e cuidados.

De repente, na madrugada do último sábado, recebo a seguinte mensagem: “Pai, o ‘nosso amigo cão’ acabou de chegar em casa com um olho de fora, tá sangrando muito. Dei aquela injeção, mas está saindo muito sangue do olho dele. Será que arranco fora de vez? Me ajuda, pai.

Tá foda! Não sei o que faço.” No primeiro momento, na fraqueza de um ser humano, enfrentando dificuldades financeiras, liguei pra meu pai para verificar a situação e sacrificar nosso companheiro de batalha! Que vergonha pra mim. Meu filho foi mais forte, mais humano! Não aceitou esta solução, passando por cima de todos que só viam esta saída. Tirou uma foto e levou para um veterinário. O mesmo orientou­o a levá­lo pra outra cidade para fazer uma cirurgia, onde deveria custar em torno de 1.000,00, indiferente se fosse pra tirar o olho ou implantá­lo novamente. Não achou quem se dispusesse levá­los de carro. Mas não se intimidou. Pegou sua moto e, com a ajuda da namorada, cortou o vento frio daquela região com o nosso amigo cão no colo até a cidade mais próxima…

Na clínica veterinária deixou transparecer toda sua humildade adquirida na vida dura das comunidades terapêuticas e presídio onde viveu. A médica veterinária não disse não àquele menino que em choro constante pediu socorro e disponibilizou seus únicos150,00 que tinha. “Por favor, salve meu cachorro! Não tenho como pagar e estou desempregado. Só irei ter meu primeiro salário início de agosto. Posso pagar 100,00 por mês”. A profissional internou o nosso cão amigo, iniciou medicação e, hoje, dia 21/06/15, domingo, ela fez a cirurgia.

Como não tem área de celular lá onde meu filho está, temos apenas a informação que a cirurgia foi feita e está tudo bem! E parece que o olho foi preservado. Para meu filho de 10 anos, não é surpresa, pois ontem na missa, ele pediu em oração pra que o nosso cãozinho não perdesse o olho.

Acho que foi atendido. Provavelmente, São Francisco de Assis, protetor dos animais, deu uma forcinha. Ainda não soubemos o total das despesas, mas alguns de nossa família se sensibilizaram e contribuirão cada qual com um pouquinho.

Para meu filho apenas pude digitar o seguinte texto por sms: “Foste guerreiro pelo nosso amigo cão. Proves pra quem não acreditas mais, que podes ir longe! Deus te cuide!”

E para você, que por algum motivo, teve a paciência de ler este texto, eu te pergunto: quem pode ser chamado de normal ou de anormal dentro desta sociedade que julga, condena e exclui sem piedade os “anormais” aos olhos humanos?

 

Sergio Peron

6 Comentários

  1. Realmente a vida são de vários desafios, e quando se ama e acredita em Deus tudo há de dar certo, mesmo que em linhas tortas!

  2. Meu filho acabou de me ligar. O Tobby já está alegre, mas perdeu o olho e continuará internado. Meu filho está eufórico, pois a Veterinária quer contratá-lo, além da Berlanda, posto de gasolina, office-boy de uma grande empresa e caseiro de uma casa de praia em Florianópolis. Meu Deus, peço apenas oração, para que meu filho tenha sabedoria em suas escolhas. Amém

  3. São gestos como estes que nos faz melhores! São pequenas atitudes que fazem com que este mundo não pereça. Não querendo estragar este momento, mais se nossos políticos (os verdadeiros animais) pudessem agir desta maneira, nós teríamos um país com homens de bem. Mais infelizmente são estes gestos que realmente mostram a grandeza deste povo desprezado e maltratado por políticos corruptos e inescrupulosos. Não são os empresários que furtam nossos rasos bolsos, mas sim a classe política e o governo que nos roubam vergonhosamente a luz do dia. me desculpem pela minha indignação.

  4. Julio, não carece de desculpas. Teu desabafo é o desabafo de milhões de brasileiros honestos, guerreiros…que pagam as contas de uma classe corrupta que nos roupa e nos impõe cada vez mais um fardo insustentável. Esta classe se chama ”políticos”. Seja vereador, prefeito, deputado, presidente e ou seus comparsas apadrinhados. E nós, a plebe brasileira, vivemos cada vez mais excluídos dos benefícios da pátria, assemelhando-nos com os plebeus da Idade Média.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *