Sobre

O que é “O blog do Sergio Peron”?

Democraticamente de todos. Na verdade queria brincar de blog, com postagens vez por outra. Fiz um arremedo e mandei o endereço para os amigos. A coisa foi ficando séria, com as pessoas enviando informações de todos os lados e acessos até de outros países. De repente me vi na obrigação de atualizar diariamente, de manhã e à tarde. Muitas vezes, também à noite. Vi que as pessoas querem ter voz, falar sobre alegrias, tristezas, felicidades, descontentamentos. Percebi também que não há limite de idade para os leitores. Vão de 8 a 80 anos, de todas as classes sociais. E como a sinceridade dos participantes é latente nos comentários, em menos de um ano (foi criado em 19 de abril de 2009) o blog se disseminou entre as pessoas, credos, tendências políticas.  Tem os exagerados que afirmam que ler o blog vicia. Não sei se é verdade, mas escrever vicia. Não tenho a pretensão de ser influente, mas trazer o pensamento da maioria para a luz pública, de todos, seja concordando ou discordando.

Quem é Sergio Peron?

Comecei muito cedo no jornalismo, ainda no tempo do guaraná de rolha. Nem por isso tenho a idade de Matusalém. É que inventaram as “novas tampinhas” recentemente.Se há algo que gosto muito ao escrever, é imaginar que do outro lado da telinha alguém vai rir muito ou ficar muito indignado.Prefiro ficar quieto a falar demais, mas não levo desaforo para casa. Deve ser por isso que muita gente não gosta. Existem dois extremos relacionados a mim: amor ou ódio!Nunca vi uma pessoa com tamanha capacidade de despertar sentimentos tão antagônicos e tão próximos. Sei que muitos falam comigo por ódio, sondando o que se passa “na minha mente perversa”. Já outros, falam porque gostam de verdade e concordam com as minhas “canetadas impiedosas”. Comigo não tem esse negócio de “falar pelas minorias”. Falo pela maioria mesmo, porque vivo uma era de descontentamento geral.Tenho algumas frustrações na vida: não sei nadar, não sei tocar violão e não sei andar de bicicleta. Nadar nem tento porque vou morrer afogado! Tocar violão é dom e não apresento nenhum e “bike”, só se for um triciclo, porque sou ruim de equilíbrio.Entre tantos defeitos que tenho (mas muitos mesmo) vou apontar os piores todos ligados ao coração: não sei perdoar (coração duro), sou vingativo (coração muito duro) e não dou segunda chance (um iceberg no lugar do coração).Quando amo, é de forma plena e total, sem medir consequências. Se odeio a dimensão é a mesma! Infelizmente sei odiar.Sempre adotei a filosofia dos dois cães e quem quer me conhecer, pode anotar:Existem dois cães dentro de mim: um bom e um mau! Aquele que você alimentar vai matar o outro!