7

HA HA HA HA

A Comissão Processante da Schützenfest teve que adiar na manhã desta quarta-feira (8) a tomada de depoimentos do ex-presidente da Associação dos Clubes de Caça e Tiro do Vale do Itapocu (ACSTIV), Nelson Sjöberg, e o atual presidente da ACSTIV, Celso Hille, para mais uma etapa das oitivas do processo de apuração das denúncias de infração político-administrativa e atos de improbidade supostamente cometidos pela prefeita Cecília Konell (DEM). Sjöberg e Hille foram convocados pela comissão, mas também estavam na lista das testemunhas convocadas pela defesa da prefeita.

Segundo o presidente da comissão, Jaime Negherbon (PMDB), os dois foram convocados porque tiveram envolvimento direto na formalização do contrato com a Fábrica do Show, empresa terceirizada que organizou a 21ª Schützenfest. Apesar do comparecimento das duas testemunhas, não houve a tomada das oitivas porque o advogado de defesa de Cecília Konell, Moacir Silveira, não compareceu aos depoimentos.

O advogado Silveira alegou, segundo a assessoria das comissões da Câmara, que não foi notificado pessoalmente da oitiva, pois um funcionário seu era quem havia assinado a intimação. A assessoria explicou que, apesar de não ter assinado o documento, Silveira sabia com antecedência do compromisso. A comissão reitera que a presença do advogado é imprescindível para que o princípio de ampla defesa seja garantido aos denunciados.

Por Rosana Ritta- Assessoria de Imprensa da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul.

– Posso falar?

– Arghhhhh!Arghhhhhh! –  quase vomitei ao citar a prefeita!

– Querem que eu explique mais o quê? Se foram os meses de junho e julho, mas caso queiram, podemos fazer uma quadrilha para dançar em setembro!! Cantem comigo: pule a fogueira iá-iá, pule a fogueira iô-iô…

9

NA PAUTA

O projeto de Lei que autoriza novo repasse no valor de R$ 375.000,00 para a Schützenfest – Festa do Tiro , deverá estar na pauta de votações da Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul-SC, na noite de hoje. Mesmo com todas as irregularidades apontadas na edição da festa em 2009, com a conquista de novos aliados no Legislativo, o projeto deverá ser aprovado sem dificuldades. Desculpas não faltarão: manter a tradição, atender ao povo, não posso ser contra e etc.etc.etc. O “rombo” apontado no ano passado, não criará dificuldades para que os vereadores ” se sintam impedidos em fazer vistas grossas ao caso”: a Comissão Processante não consegue ouvir os acusados dos desvios, o partido do relator está “atrelado” ao Paço Municipal e mais uma vez, o povo ficará a ver navios, talvez barris de chopp sob os auspícios do Legislativo.

– É a Câmara de vereadore que temos!

3

INSISTÊNCIA

Já falei para os leitores e leitoras mais fiéis do sul do mundo, que a Comissão Processante da Schützenfest, instaurada na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul-SC , não vai em nada? Não falei? Pois, não vai acontecer nada com os mandatários de Jaraguá do Sul. Eu, a Taciana Gesnner, mais os advogados Airton e Sonia Sudbrack, assinamos o pedido. Com os dois advogados, muitas vezes fomos até altas horas da madrugada, estudando, pontuando, apontando a irregularidade, a Lei que prevê a punição, juntando documentos, certidões e etc.etc.etc. Com que finalidade? Para que os responsáveis “pelos desvios de recursos e outros atos de improbidade”, respondam pelas ilicitudes cometidas. Elencamos tudo, assinamos e protocolamos.

No sábado, recebi correspondência via AR da Câmara de Vereadores, uma RECONVOCAÇÃO . Eles querem me ouvir, mesmo depois do documento protocolado. Em tem um detalhe: a correspondência agora veio com tom de ameça. A certa altura da missiva, diz: Igualmente, informamos que o não comparecimento, ou justificativa com propósito meramente protelatório ou inverídico, o sujeitão às penas previstas em Lei ( artigo 330 do Código Penal – desobedecer ordem legal de funcionário público).

-Senhores vereadores! Vão caçar o que fazer! Não conseguiram ouvir a principal acusada das maracutaias e querem ouvir quem fez a denúncia e assinou? O que eu precisava dizer está escrito e assinado no meu pedido de Comissão Processante e já enviei correspondência onde RATIFICO TODOS OS TERMOS DA DENÚNCIA PROTOCOLADA. Ouçam a termo a prefeita Cecília Konell, se acham que conseguem. Ou então, vão pra casa dormir, porque é de conhecimento e domínio público que tudo isso vai dar em nada. Mas me aguardem!

11

ELE MUDOU !

No dia 9 de dezembro de 2009, consultei em Jaraguá do Sul-SC, o vereador Peemedebista da “fotenha”, conhecido como Lorival Demathê ou Traíra do povo, sobre o caso Schützenfest.

Releiam o e-mail que recebi do dito cujo:

Bom dia Sérgio!

Toda questão que envolva dúvidas na aplicação de recursos públicos tem que ser fiscalizada, é dever do Vereador, só assim pode-se apurar a verdade.

Lorival Demathé- Vereador -PMDB

E todos nós acreditamos né?

 

10

DEVE IR

O projeto de lei de repasse de R$ 375.000,00 para a Schützenfest de Jaraguá do Sul-SC , em regime de urgência, deve entrar na pauta de votação na sessão da Câmara de Vereadores no dia de hoje. E tem vereador dizendo que: a festa de 2009 foi uma coisa e a de 2010 será outra coisa. É admirável o discernimento, a desculpa para a subserviência.  Todas as pendengas, rolos, maracutaias, desvios, malversação, são da mesma festa. O bom senso, a responsabilidade, o compromisso de fiscalizar, deveriam dizer aos nobres vereadores que: “sem resolver uma das maiores falcatruas da história jaraguaense, sem apontar responsabilidades”, não tem recursos públicos para tal finalidade. No entanto, preferem fazer ouvidos moucos aos apelos das ruas, ao grito dos jaraguaenses para que respeitem o dinheiro que é de todos. São representantes de quem? Do povo, certamente não!

Por um mínimo de descência, o vereador Amarildo Sarti-PV, deveria renunciar à relatoria da Comissão Processante e convocar os demais para que façam a mesma coisa.

– Comissão Processante para quê, se o desfecho já se sabe e  é de clareza solar? Vão para casa vereadores!! 

11

VAMOS RECORDAR I

Clique para ampliar

Examente em agosto de 2009,precisamente no dia 19, portanto há mais de um ano , publiquei sobre o caso “Schützenfest”, comentei sobre os erros, apontei as lambanças e apresentei aos le

clique para ampliar

itores um pré-c0ntrato do que seria realizado. A partir de então, uma chuva de denúncias de irregularidades: ausência de licitações, a exploração lucrativa de espaço público, a cessão de servidores públicos, pagamentos irregulares e etc.etc.etc. Ninguém fez comparativos com a grafia do rascunho do tal pré-contrato, ninguém foi atrás da nota fiscal de bebidas emitida pela empresa Bebidas Príncipe e tudo passou a ser um grande “imbroglio”, piorando a cada dia.

Faltou investigação incisiva, faltou conhecimento de causa, faltou esperteza para confrontar depoimentos, acareações. Era para ser feito um trabalho diferenciado e a Câmara tem respaldo para isso. Depoimentos adiados, mentirosos, falsos e tudo foi aceito. Quando produzimos a peça jurídica da denúncia, pormenorizada, detalhada, embasada, ainda temos que aturar a “intenção” da edilidade em nos ouvir, sem cabimento, sem respaldo jurídico, até porque na condição de denunciantes, não podemos ser testemunhas.

De hoje em diante, vou publicar novamente tudo o que escrevi sobre o assunto.

8

VEJAM

Depois de reuniões no final de semana, parei para juntar as peças do quebra-cabeças:

1 – O Partido Verde tem a relatoria da Comissão Processante da Schützenfest – o mesmo partido passa a integrar o governo de Cecília Konell-DEM , a prefeitura vai mandar projeto de Lei à Câmara de Vereadores para novo repasse de recursos para a “X Calote”, mesmo com todas as irregularidades apontadas na festa de 2009 e será aprovado, os pedidos de informações dormem nas gavetas dos vereadores.

– Preciso lhes dizer mais alguma coisa sobre o fim disso tudo?

8

COMISSÃO PROCESSANTE

A Comissão Processante da Schützenfest quer me ouvir em depoimento! Não só a mim, mas todos os denunciantes. A oitiva não tem fundamento, não tem procedência, não tem embasamento legal. Tudo o que precisávamos apontar está na denúncia formulada, fundamentada juridicamente e protocolada na Câmara de Vereadores de Jaraguá do Sul. Numa linguagem simples e objetiva, chamo isso de “chover no molhado”, “caçar chifre em cabeça de égua”, “inventar sobre algo sobejamente documentado”, inclusive tendo entre os documentos, certidões de que estamos em dia com a Justiça Eleitoral.

E vou dizer mais: tenho conhecimento que, algumas coisas serão apontadas para apareciação da Câmara de Vereadores e outras para o Ministério Público. Que apesar de todos os apontamentos e irregularidades apuradas, existe vereador que votará contra a punição da prefeita. E agora a situação ficou ainda pior: o Partido Verde, ao qual pertence o relator da Comissão Processante, vereador Amarildo Sarti-PV , passa a integrar o governo! O que podemos esperar? Estou chegando à triste conclusão que perdemos tempo, gastamos dinheiro e falará mais alto o “tilintar dos interesses”. O povo que se exploda, o dinheiro público pode ir pelo ralo, ex-servidores podem falar que omitiram informações, prevaricaram e nada acontecerá. Produzimos toda aquela papelada, para  que os eleitos pelo povo e com a missão de fiscalizar os atos do Poder Executivo, se omitam, tenham atitude de avestruzes.

Triste política, tristes políticos, pobre do povo!

3

VEREADOR ALERTA COLEGAS

Presidente da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Schützenfest, o vereador Jean Carlo Leutprecht (PC do B), que na última semana tornou-se o alvo preferido do advogado da Prefeitura e do ex-secretário de Administração e da Fazenda durante os depoimentos da Comissão Processante que investiga as irregularidades durante a festa de 2009, manifestou na sessão da última terça-feira toda a sua preocupação com a possibilidade de que nova festa seja realizada sem que os problemas e as irregularidades ocorridas na anterior sejam resolvidos. Continue Lendo