5

LICENCINHA…

…que vou prestar uma homenagem e ao mesmo tempo uma justificativa de que “valeu a pena”.

O homenageado é meu querido amigo Rainer Wiele (que pelo nome e sobrenome, é baianíssimo), coração generoso e apreciador da boa mesa. Em dezembro do ano passado (no Café Pensante) comentei que pretendia comprar um forno elétrico – para aquelas experiências todas da culinária e tal. Me disse Wiele:

– Deixa que eu vou ver pra você!!

Mais influente do que padre em cidade pequena – não só viu, como comprou e pagou. Ressarci o valor – que foi menos da metade do custo normal: um forno Mueller zero bala, 40 litros – aquele que prega botão, costura gola, anima festinha de batizado, casamento, assa, gratina e tra lá lá.

Ainda em dezembro, fomos comprar carnes de porco no bairro Santa Luzia (Tomelin): paletas, lombos, linguiças, torresmo e eticétera. Dessa vez, Rainer Wiele não me deixou pagar! Hoje pela manhã – de novo no Café Pensante – prometi:

– Rainer! Vou fazer aquele lombo recheado com cenoura, ameixa e azeitona. Tudo acompanhado de saladinha de almeirão com cebola argentina (branquinha).Vou enfeitar com abacaxi, fazer uma foto e postar em sua homenagem.

O lombo estava marinando desde a manhã de hoje! Por volta das 12.30 min iniciei o ritual. Um “aperitivozinho” básico, paciência de monge budista e às 15.30 min me entreguei aos pecados da gula: foi a hora em que almocei!

Pensando bem, vou mudar de profissão!

– Está aí Rainer! De tão bom e saboroso, é para comer ajoelhado, rezando!

Clique nas fotos para ampliar!

1

UM DOCE!

– Estou assim hoje … ha ha ha ha

Vivo comendo um preparado de minha autoria: bolacha, leite condensado e leite tipo C!

Fácil, rápido e delicioso! Uma sobremesa que você pode convidar os visitantes para que preparem à mesa.

A sequência é como está na foto! Façam e me digam!

3

SÓ POR HOJE!

Postei no Facebook e vou deixar aqui também: vamos começar a semana…gorda…ha ha ha ha

Um vinho Casal Garcia Verde Tinto. Depois de três generosas taças, mãos à obra: preparar a macarronada!

Ingredientes:

500 gramas de macarrão Fettuccini ao Ninho

2 latas de sardinha ao molho de tomate (250 grs cada)

Modo de preparar:

Numa panela com 2,5 litros de água, coloque sal conforme o gosto, um filete de azeite de oliva extra-virgem. Fervendo, coloque os ninhos de macarrão. Jogue fora o óleo de uma das sardinhas. Numa panela coloque: sardinhas, óleo de uma lata, desmanche com um garfo, acrescente massa de tomate e deixe cozinhar por uns 5 minutos.

Clique no macarrão – sai até fumaça!!

Escorra o macarrão, coloque numa travessa e seja generoso no molho!

Obs. Gotas de pimenta (curtidas com os cabinhos e no azeite de oliva) apenas no prato de quem gosta, vai bem.

Queijo parmesão ralado na hora e fartamente, completa o prato!

5

COMIDINHA?

– Por acaso, alguém está afim de experimentar minha comida?

Sou apaixonado por cozinha, já confessei! Hoje, mais brasileiro do que nunca, resolvi dedicar parte da minha tarde para um “menú” brasileiro como só: feijão carioca de caldo grosso, arroz branco, abóbora kabotiá (eita casca dura de tirar), carne de porco apuradinha na panela de ferro mais velha e maltratada, repolho refogado na banha de porco.

Barato, bom e saboroso e com detalhes. Faço questão de ensinar, entendendo que todo mundo sabe fazer arroz e feijão! (caso não saibam, peçam a receita que ensino)

Ingredientes:

3 kg de pernil de porco com pele

1 abóbora kabotiá (mais ou menos 1,5 kg)

Modo de preparar:

Separe a gordura (em pedaços) da carne de porco (guarde a pele para um feijão preto). Tempere separadamente a carne e a gordura. Sal, pimenta do reino, alho, cebola (na gordura e na carne). Uma hora depois, coloque umas gotas de óleo numa panela de ferro e jogue os nacos de gordura. Deixe fritar bastante! Enquanto isso, prepare uma dose de whiske Johnnie Walker Black Label (acabou, viu Zeca!). Torresmo moreninho, num prato com guardanapos – deposite os torresmos pegos com uma escumadeira.

Deixe esfriar um pouco! Gordura quente elimina 98% da potência do homem!

Durante todo esse tempo, o “viske” acabou. Sirva outra dose! ( falei que é sem gelo?), pois é!

Tirou o torresmo, jogue muito alho picadinho na gordura. Amorenou-se? Jogue-os no feijão que está cozido, inteiros e só aguardando o sabor. Salgue conforme seu gosto!

– Comeu dois torresmos?  Bom né? Se foi o “viske”!

Generosamente, sirva-se de mais uma dose! Naquele resto de alho/gordura que sobrou do torresmo, jogue a carne de porco. Mexa com colher de madeira. Revirou tudo? Coloque a tampa da panela (de ferro, lembra?) e deixe vir a água da carne. Vá colocando pouca água e deixando cozinhar. Ao final, carne moreníssima e temperadíssima.

-Três torresmos depois, mais uma dose!

Pegue meia dúzia de pedaços da carne de porco pronta e com uma faca de fazer barba, corte em cubículos. Numa panela, coloque os cubículos + farinha de mandioca em bijou e deixe torrar! Ficando moreninha, desligue e acrescente cebolinha.Mexa, acrescente azeite de oliva e abafe para incorporar sabores, perfumes.

– Fio! Dois torresmos e mais um viske!

Abóbora refogada, carne fritinha, arroz soltinho, feijão de chorar, farofinha, repolhinho do tipo!!

-Vá lá! Comida boa, demora para ficar pronta!

Bom apetite!

4

BOM PARA UMA SEXTA!

Não deixei de fazer minhas guloseimas, só deixei de postar. (as fotos estão guardadinhas)

Para uma sexta-feira, resolvi apelar para algo menos “engordante”: sobrecoxa e peito de frango com batatas ao forno.

MODO DE PREPARAR:

Tempere comedidamente com sal, alho, pimenta do reino, acrescente uma lata de cerveja – deixando marinar por 2 horas

Faça um creme de cebola com algumas pitadas de sal e cheiro verde.

Coloque as peças de frango numa assadeira (não precisa untar) e com uma colher, cubra cada pedaço com creme de cebola.

Coloque generosos pedaços de batata

Passe uma folha de papel alumínio de modo que toda forma fique fechada. Leve ao forno a 240 graus – mais ou menos uma hora e meia.

Tire o alumínio e deixe dourar.

Fica crocante e muito saboroso.

Detalhe: baratinho!

Pode acompanhar : arroz branco, salada de rúcula ou alface americana.

PS. Hoje dei uma folga para o fígado. Nada de bebidas!

2

CUIDEM-SE!

Nem tudo é gordura, carne e “coisinhas”que agridem a saúde na minha vidinha boa.

Resolvi dar vida ao meu lado vegetariano, em plena sexta-feira. Faça isso também!

É saudável, gostoso e dá um trabalhozinho! Anote aí a receitinha boa:

2 kg de cenoura – 3 kg de chuchu e 2 kg de abobrinha (pode ser verde ou madura)

1,5 Kg de posta de peixe ( o que for do seu gosto) – comprei salmão

Preparo:

Tempere as postas (alho, cebola, pimenta do reino e muiiiiito azeite de oliva extra-virgem – deixe marinando e as postas nadando no azeite)

Tire a casca do chuchu, da abóbora e raspe a cenoura (depois de bem lavada) com uma faca de serrinha (não é para tirar toda película que protege a raiz, rica em betacaroteno).

Pegue um tacho (olha aí o meu) e cozinhe tudo junto. Algumas cenouras, a abóbora e mesmo o chuchu, podem cozinhar antes dos outros. Vá separando os prontos até concluir todos. Deixe esfriar e o mesmo tacho coloque: chuchu e sal, cenoura e mais sal, chuchu e cenoura. Por último: pimenta do reino, cebola em rodelas e azeite de oliva.

Numa frigideira de teflon, vamos ao peixe: unte a frigideira com azeite de oliva, manteiga e coloque os pedaços de peixe. Vá selando cada lado, sem deixar queimar o azeite.

Uma salada de alface americana acompanha demais.

– Bom! Durante a preparação, tomo quase uma garrafa de um vinho português-   verde e branco – Casal Garcia.

– Não me chamem de xarope!! Até uso palitinhos!!

0

DOCINHO!!

Se tem algo que gosto, é escrever aqui, dividir minha vida com leitores e leitoras.

Até pode parecer bobagem, mas nas pequenas coisas, é que se encontra a essência da vida. Até nos detalhes do “pratenho”.

– Que sou um apaixonado por fazer comida, todo mundo sabe! O que não sabem é que minha curiosidade descobre coisas a cada dia, entre doces e salgados.

Anotem aí:

3 bolachas de polvilho com amendoím.

Prestenção “nus modu di preparar”:

– Numa “vaselhenha” meio funda, coloque uma bolacha em cima da outra e encha o meio com leite moça (leite de moça é ótemo). Coloque leite tipo B para que cubra até a segunda “bolachenha”. Espere uns 10 minutos e comece a comer do fundo do “pratenho” para cima!!!

Bom demais!!

0

COMER, COMER…

… para poder crescer! Nem que seja para os lados… ha ha ha 

Couve cortada bem fininha, feijão preto e uma generosa quantidade dos ingredientes suínos: orelha, pé, rabo, costelinha, lombo e eticétera. Não se esqueça do paio e linguiça calabresa.

Modo de preparar:

Coloque o feijão de molho, pelo menos duas horas antes de levar ao fogo.

Numa panela de ferro com um pouco de azeite,alho e cebola, coloque todos os ingredientes devidamente cortados.

Depois de uma boa fritura, acrescente o feijão e deixe cozinhar, sem pressa.

Quando tudo estiver pronto, descasque de duas a três laranjas (tirando inclusive aquela parte branca, mais aquela espécie de  membrana que separam os gomos) e acrescente na panela. Deixe cozinhar até que a laranja desapareça (isso tire todo o excesso de gordura e deixa a feijoada mais leve – se é que podemos dizer isso)

Refogue a couve (rapidamente) numa frigideira com banha de porco e alho.

Fica de bom tamanho um arroz branco, vinagrete e para quem gosta, uma farofa de bacon.

Ah! Uma pimenta daquelas de comer com ventilador perto, é ótemo!

Bom apetite.

2

RECEITA DO ÁGAPE

Aproveitando que o frio chegou pra valer, vamos ao nosso prato noturno e dominical.

Clique que amplia!

Fácil, simples e baratinho (como sempre):

1 kg de aipim (já descascado)

3 pedaços de osso buco

1 maço de cebolinha

Sal e pimenta ao gosto de cada um.

Modo de preparar:

Corte o osso buco (as carnes) em pedaços menores e deixe parte no osso. Tempere com sal e pimenta.

Tire aquele fiapo do meio do aipim e quebre pedaços (isso mesmo, quebre para liber mais amido).

Numa panela de pressão, frite a carne com azeite e alho. Depois coloque os aipim quebrado e água. Coloque a tampa e deixe cozinhar por 45 minutos. Deixe sair a pressão, tire a tampa e acrescente a cebolinha verde. Mais 5 minutos.

Para quem gosta, vale duas colheres de massa de tomate.

Bom apetite!

2

ÁGAPE!

Passei a tarde toda com inveja do meu cachorrinho! Assisti de cadeira, sua luta ferrenha com um osso buco cheiiinho de carne. Ele se deleitando e eu, nada! 

Resolvi preparar o meu guizado! Pelas bandas de Minas Gerais se chama “quibebe” e que é feito com carne de 2ª (jornalísticamente usual, tendo em vista o soldo), aipim, mais uns temperinhos verdes. Decidido a praticar a arte de cozinhar em pleno domingo e final de tarde, me lembrei da minha advogada Sônia, de nascimento Tió e uruguaia, mas brasileira Sudbrack , a reclamar que nunca a convido para os meus pratos. Até imagino a sua fala:

– Bueno, eso! Tenga cuidado del perro y se olvide de invitar a tus amigos para disfrutar de un plato típico de su tierra. Es uno que me debe! Peñarol, que Peñarol??

Ainda farei especialmente para ela, porque merece! Além de parceira ferrenha de luta, trata-se de pessoa que tenho em altíssima conta por sua competência, dedicação, zelo, visão coletiva  e incansável que é.

– Ni siquiera voy a hablar ahora que empecé a preparar el plato, ops, desculpem! É o efeito Sonia…

Logo mais, postarei o ágape devidamente pronto!